quinta-feira, 16 de agosto de 2012

da verdade...


 
“(…) com efeito, só enquanto a coragem ousa atirar-se para a frente é que, segundo o grau de força, alguém se aproxima da verdade.
Para o forte, o conhecimento, o dizer sim à realidade é uma necessidade tal como, para o fraco, sob a inspiração da fraqueza, também é uma necessidade a cobardia e a fuga perante a realidade – o «ideal»...  A estes não está patente o conhecer: os décadents precisam da mentira, esta é uma das condições da sua conservação. 
Quem não só compreende a palavra «dionisíaco», mas se compreende a si na palavra «dionisíaco», não necessita de qualquer refutação de Platão, ou do cristianismo, ou de Schopenhauer – fareja a putrefacção...” 
 Friedrich Nietzsche, Ecce Homo, Como se chega a ser o que se é.      Nietzsche, doc.

2 comentários:

Pedrasnuas disse...

O vinho é uma fuga à realidade...:) como existem tantas outras...

Estou chegando aos poucos. Bom setembro!

L.S. disse...

Pedrasnuas,Bom regresso.
Obrigada.